Hintf webzine – Interview Iamtheshadow

Spread the love

 


 

Hintf Webzine

Entrevista: IAMTHESHADOW
Por: Miguel B. Ribeiro

– Muito obrigado desde já por esta entrevista. Gostava que nos explicasses como surgiu o gosto pela música.
Obrigado eu. O meu interesse pela música surgiu desde muito cedo, comecei a compor em sintetizadores desde os 11 ou 12 anos.

– Em que ano nascem os IAMTHESHADOW , como aconteceu?
IAMTHESHADOW surgiu em 2015 quando criei uma música (Hurts and Takes) e entendi imediatamente que não encaixava em The Dream Collision. Isso e a conjectura naquele momento fez-me entender que havia ainda espaço em mim para um projeto desta natureza. Mais sintetizado, mais enérgico.

– Quem são os IAMTHESHADOW ? Apresenta-te…
Iamtheshadow começou por ser apenas eu até há muito pouco tempo. Entretanto surgiram oportunidades de apresentar o meu álbum “Everything in This Nothingness” ao vivo e convidei duas pessoas para tocarem comigo, O Rui Geada, no baixo e guitarra e o Vitor Moreira nos sintetizadores. Após o primeiro concerto e a certeza evidente dos excelentes músicos que eles são e principalmente o envolvimento e cumplicidade entre os três convidei-os a assumir um papel mais importante no projecto, porque acredito ser uma mais valia para todos enquanto músicos e pessoas.

– Como funciona o processo criativo? Quem escreve, quem compõe as músicas?
Sempre fui eu a compor, por motivos óbvios( ninguém mais existia para compor) Neste novo trabalho fui eu que compus a estrutura base das músicas mas dando-lhes total liberdade criativa para comporem e envolvimento total na produção das músicas.

– Quais são as influências,o que te inspira?
Tenho demasiadas influencias, mas talvez as mais evidentes sejam The Cure, Depeche Mode e Clan of Xymox.

– Numa palavra,como se definem ao vivo?
Emotivos.

– Planos para o futuro…
Assinámos por uma editora Francesa, a North Shadow Records, vamos lançar em maio um EP em vinyl chamado “All Our Demons”, vamos tocar no WGT em Leipzig, alemanha..e a partir daqui é tocar o mais que pudermos, principalmente fora de portugal.

– Por fim, deixem uma palavra a quem vos ouve e segue…
Sonhar, ouvir e sentir. Everything in this Nothingness

Laisser un commentaire

Votre adresse de messagerie ne sera pas publiée. Les champs obligatoires sont indiqués avec *